Com teatro lotado, Concurso Miss Afro Feira de Santana realiza final da 6ª edição

Com teatro lotado, Concurso Miss Afro Feira de Santana realiza final da 6ª edição

Geisa Borges de 15 anos e moradora do bairro do Tomba foi a grande vencedora do Concurso Miss Afro.

Foi realizada na tarde do último domingo (28), a final da sexta edição do Concurso Miss Afro Feira de Santana. Após cinco meses de atividades com rodas de conversas, oficinas de formação, minicursos e palestras, 16 jovens e mulheres negras de Feira de Santana e de São Gonçalo dos Campos realizaram o desfile que marcou a última etapa do concurso.

Dividido em dois momentos, onde se apresentaram para a plateia e para uma comissão julgadora formada por personalidades negras feirenses a exemplo da Ialorixá Graça de Nanã, do médico Gileno Júnior, do geógrafo Daniel Pintto, e da bióloga Aline Daltro, a moradora do bairro do Tomba Geisa Borges de apenas 15 anos garantiu o título e se tornou a representante Afro deste ano.

Além de Geisa, foram eleitas também Lorena Lopes do bairro George Américo como a 1ª Beldade Negra, Andressa Borges também do bairro do Tomba como a 2ª Beldade e Rebeca Queiroz moradora do bairro Santa Mônica, como a Miss Simpatia.

Com o teatro do Centro de Cultura Amélio Amorim lotado e com uma energia positiva, as finalistas viveram um momento único. De acordo com as participantes, “o Concurso Miss Afro é algo e que tem sido um divisor de águas nas vidas das participantes”.

Para o Coordenador Geral da Associação Cultural Moviafro e Coordenador do concurso, Val Conceição, “tem sido uma verdadeira via crucis manter as ações afirmativas da instituição”.

Segundo ele, a falta de apoio financeiro tem impossibilitado a continuidade de algumas dessas ações e por pouco essa final seria cancelada.

“Para que isso não acontecesse, foram necessárias a realização de rifas entre as finalistas, familiares e amigos para levantarem os valores que ainda assim não foram o suficiente, deixando a coordenação com uma dívida de R$ 3.500 que ainda não sabemos onde como vamos conseguir”, disse.

Val Conceição, finalizou dizendo que entre outros sentimentos manter o Miss Afro é caminhar entre flores e espinhos, pois sempre que pensa em desistir, lembra da emoção e acima de tudo, do aprendizado que as participantes adquirem ao longo do concurso e ele acredita que o Miss Afro é sim uma missão ancestral.

Fonte:  https://www.acordacidade.com.br

Catu Informática ME

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial