Campanhas da Saúde com artistas custam R$ 630 mil aos cofres públicos

Campanhas da Saúde com artistas custam R$ 630 mil aos cofres públicos

Artistas, atletas e influenciadores recebem R$ 30 mil para participarem de campanhas publicitárias sobre vacinação do Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde deverá pagar cerca de R$ 630 mil a artistas, atletas e influenciadores digitais para que participem de campanhas publicitárias do Sistema Único de Saúde (SUS). As ações são voltadas para o incentivo à vacinação e à prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).

Segundo informações divulgadas pelo jornal Folha de São Paulo, 17 artistas receberão R$ 30 mil cada em função da publicidade sobre a vacinação. Parte dos valores serão destinados para doação. A médica Margareth Dalcolmo, pesquisadora da Fiocruz, e o influenciador digital Caio Braz abriram mão dos cachês.

Na campanha institucional para prevenção de ISTs, o governo federal pagou R$ 120 mil para quatro influenciadores, com cachês entre R$ 15 mil a R$ 50 mil para publicações no Instagram.

O Ministério da Saúde afirma, por meio de nota, que o valor pago aos artistas está abaixo do que é destinado pelo mercado e menor que o preço remunerado para cada participante das publicidades durante a gestão de Jair Bolsonaro (PL).

Confira a lista de contratados:

Beth Goulart;
Caio Blat;
Caio Braz;
Camila Morgado;
Camila Pitanga;
Daiane dos Santos;
Douglas Silva;
Emicida;
Hebert Conceição;
Ivan Baron;
Leandra Leal;
Natália Lage;
Nívea Maria;
Margareth Dalcolmo;
Mônica Martelli;
Paulo Betti;
Raíssa Machado;
Sheron Menezes;
Vinicius Rodrigues.

Fonte: www.metropoles.com

Ediomário Catureba | DRT 8484-BA

Comunicador, responsável pelos sites www.catureba.com.br e www.baixagrande.net
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial